movimento cuidar dos cuidadores

Os cuidadores informais, aqueles a quem a sociedade apelida de informais, são peças essenciais de um cuidado que pesa, que desgasta física e emocionalmente.
Que fragiliza.

Reconhecidos recentemente por um Estatuto que, apesar de um importante avanço social, continua incapaz de travar por completo o perpetuar de algumas injustiças, os cuidadores informais têm estado em destaque nos últimos tempos.

E é porque, apesar de insubstituíveis, muitos continuam ainda invisíveis, que a Merck Portugal decidiu, no seguimento de um projeto corporativo global, o ‘Embracing Carers’, lançar no País um Movimento que tem como missão ‘Cuidar dos Cuidadores Informais’.

Este movimento conta com dezenas de associações portuguesas que concretizam projetos capazes de ajudar, na prática, quem cuida, seja do marido, da mulher, de um filho, do pai, da mãe.

A NOSSA

MISSÃO

A nossa missão é ajudar os cuidadores informais. Tornar visível e reconhecido o seu contributo, nas mais diversas áreas e doenças em que esta figura tem um papel fundamental. Composto por uma parceria entre várias associações de doentes, o Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais tem como objetivo perceber o que ainda falta fazer pelos cuidadores informais em Portugal, melhorando a sua qualidade de vida e, por conseguinte, a de todos os doentes nacionais. A curto e médio prazo, a nossa missão passa por ações como:

  • Realizar um inquérito à população portuguesa para avaliar a sua perceção sobre os cuidadores informais em Portugal;
  • Realizar um inquérito junto dos Cuidadores Informais para analisar as suas necessidades.
  • Lançar uma campanha de comunicação para dar voz, de forma integrada e a nível nacional, aos cuidadores informais;
  • Desenvolver um projeto público de promoção do propósito que envolva todos os stakeholders, incluindo os serviços públicos;
  • Concertar esforços nas campanhas de informação (sobre direitos, obrigações e papel do cuidador).
  • Fazer uma revisão da atual legislação e uma análise crítica do Estatuto do Cuidador Informal, para colocar à discussão tópicos que apoiem os cuidadores informais;
  • Construir uma solução para suportar a vida dos cuidadores;
  • Desenvolver uma solução de apoio psicológico ao cuidador;
  • Criar um subsídio para benefício do cuidador;
  • Disponibilizar sessões de formação e outros tipos de apoio online aos cuidadores;
  • Criar uma linha SOS de apoio para cuidadores e doentes;
  • Constituir grupos de apoio;
  • Implementar o Balcão dos Cuidadores;
  • Criar gabinetes regionais de apoio ao cuidador;
  • Desenvolver projetos-piloto fora dos grandes centros urbanos e do litoral.

ESTAS SÃO AS ASSOCIAÇÕES

PARCEIRAS DESTA CAUSA

Reproduzir vídeo

"É necessário alargar o conceito de Cuidador informal"

Conheça a história de Martinha Pereira que, juntamente com o seu pai, é cuidadora informal da sua mãe com Doença de Alzheimer. Contudo, desde 2017 teve que recorrer a pessoas externas para ajudarem nos cuidados à sua mãe.

Reproduzir vídeo

"Ainda há muito por fazer pelos Cuidadores"

Conheça a história de Nélida Aguiar, com 48 anos, administradora executiva de profissão. Começou por ser Cuidadora informal do pai aos 12 anos e agora é atualmente Cuidadora da sua mãe com Doença de Alzheimer e do primo que sofreu um AVC.

É CUIDADOR?

Alguns links úteis que o podem ajudar!